Tecnologia

O setor das TIC tem espaço para respirar e voltar ao crescimento. Este setor já representa 6,7% do PIB. São mais de 11 mil milhões de euros, dos quais quase 2 mil milhões já são para exportação. Abaixo da média europeia, diga-se, mas vai existir crescimento. Pelo menos é isso que a consultora IDC prevê quando antecipa uns orgulhosos 0,9% de subida no volume de negócios gerados pelo sector – a Europa anda nos 1,9% e o mundo nos 3,5%.

O que justifica esta subida? Provavelmente, o investimento das empresas portuguesas em tecnologias e a renovação de parques informáticos que já não têm a capacidade de responder às exigências das organizações. Mas há mais. Vivemos momentos de grande convulsão nas infraestruturas empresariais. E curiosamente, são os funcionários que estão a trazer a mudança para dentro da empresa.

No passado, foram sempre os departamentos de informática a introduzir novas ferramentas de trabalho. Hoje, os funcionários têm expectativas muito elevadas. Querem usar os seus dispositivos pessoais dentro do ambiente de trabalho. Exigem ter o email no telefone e no tablet e trabalhar diretamente nesses dispositivos. Esta alteração de paradigma (a que o mercado chama BYOD – Bring your own device) obriga as empresas a investir em nova tecnologia e a reforçar a segurança.